20ª FEICON BATIMAT APRESENTA O AVANÇO DA CERTIFICAÇÃO LEED NO BRASIL

O cenário atual, as perspectivas e a forma de adquirir a certificação ambiental para construções LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) foram os temas abordados durante o último dia de atividades do Núcleo de Conteúdo da 20ª Feicon Batimat, realizado nesta sexta (30) no Hotel Holiday Inn Parque Anhembi.

A palestra “Passo a Passo para Adequar seus Projetos aos Padrões da Construção Sustentável e Obter a Certificação LEED” foi ministrada pelo engenheiro e gerente técnico LEED do Green Building Council Brasil, Marcos Casado. Ele apresentou todos os pré-requisitos para a obtenção do selo verde que tem por objetivo reconhecer os projetos que diminuem a poluição, economizam água e energia e contam com materiais reciclados e não agressivos ao meio ambiente.

Para se obter o certificado é necessário apresentar os cálculos e projetos que devem atender aos 8 pré-requisitos, que incluem a sustentabilidade do espaço; uso racional da água; otimização do uso de energia e atmosfera; utilização de materiais e recursos sustentáveis. “Cada requisito possui uma pontuação que soma 110 pontos. O projeto não precisa obter pontuação máxima em todos eles, mas deve alcançar pelo menos 40 pontos para obter a certificação básica e 80 para obter a de nível platina”, explica Marcos.

O LEED é reconhecido em 136 países e o Brasil é o 4º no ranking, com 44 empreendimentos certificados e 500 já cadastrados, divididos entre os 20 estados atendidos pela empresa. São Paulo ocupa o primeiro lugar, com 311 registros e 32 certificações e, em 2º lugar, aparece o Rio de Janeiro, com 79 registros e 7 certificações. “Nosso objetivo é chegar a 650 construções registradas até o fim do ano. Com os investimentos realizados no país devido a grandes eventos esportivos, como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, esse número deve ser superado bem antes do esperado”.  

Atualmente o GBC Brasil disponibiliza 8 tipos de selo: LEED CS – Projetos da envoltória e parte central do edifício que representam 42% dos registros no Brasil; LEED NC – Novas construções e grandes projetos de renovação, com 42%; LEED EB_OM – Operação de manutenção de edifícios existentes, com 8%; LEED CI – Projetos de interiores e edifícios comerciais, com 6%; LEED Schools – Escolas e LEED ND – Desenvolvimento de bairro (localidades com 1 % cada); LEED Retail NC e CI – Lojas de varejo, ainda sem certificações; LEED Healthcare – Unidades de saúde, ainda sem certificações; LEED for Home – Residência, ainda não aplicável no país.  De acordo com Marcos, o selo deverá ser adequado para atender a realidade brasileira, com novos referenciais previstos para o segundo semestre deste ano. Além dessa mudança, o LEED prevê o lançamento do certificado para loteamentos, condomínios e bairros.

Confira mais notícias